O amor está quase em extinção



 
Imagem: We Heart It





É muito trabalhoso e cansativo ficar imaginando como o amor está se perdendo ao decorrer dos tempos. É incrível ver que pessoas já não levam mais tão a sério o amor, eles já colocaram em seu vocabulário “eu te amo” como uma palavra habitual ou até mesmo uma gíria de garanhão. Pior que incrível é impressionante que o amor já não dure tanto como na época da minha bisavó, onde o amor era mais aventureiro e até mais fácil, sem essa enganação toda pela qual as meninas costumam se levar todos os dias.
Me pego frequentemente lendo mais um dos romances de Machado, no qual o amor era bem mais buscado, as pessoas não se enrolavam para alcançar alguém, ou mesmo não mentiam para se auto conquista. A extinção pela qual se aproxima o amor não é a mesma pela qual vemos que podem não mais voltar, porém a que estamos vivendo é a pior que podemos vivenciar.
As pessoas já não fazem mais do amor um calculo de tabela periódica, elas dão apenas um valor de 2+2 e que seja 4. A importância pelo qual os amores veem recendo só nos faz desacreditar ainda mais que vamos encontrar alguém. É muito mais difícil que nunca ver que nem o amor nem as mulheres (algumas) estão se valorizando.
A proximidade pela qual podemos observar que o amor se destrói nos torna menos humanos, sem o amor não podemos viver e sem a vida o que nos tornamos? Estamos apenas nos afundando para mais um daqueles buracos que não tem fim, ou que não tem volta e é basicamente isso que vai acontecer o amor vão se perder num poço sem fundo onde nenhum balde possa vós salvar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário