Ela foi molestada pelo PRÓPRIO PAI



Ao caminhar pelas ruas de seu bairro ela sempre ouvirá coisas do tipo: “Essa daí só vive em festa é uma total putinha”. Se isso a magoava? Não preciso nem o responder. Antes que ela pudesse se machucar com as atitudes a fora de sua casa ela buscava sempre uma estabilidade emocional, até por que passará por coisas horríveis em casa.

Muitos vão olhar para ela e dizer: “Essa daí? Ah por favor né?”. Ela veio sendo moldada por diversas atitudes de seus pais, mas o que lhe acontecerá numa noite de terça marcará sua vida para o infinito. Era terça e sua mãe precisava trabalhar até mais tarde. Naquele período ela ficava com a babá até que seus pais chegassem. Tendo apenas 6 anos de idade a garotinha foi molestada.

Em pleno século XXI algumas pessoas ainda levam isso na brincadeira, mas poxa isso destruiu a vida de uma criança, acrescentou na vida dela uma coisa que ela nunca saberá se tem cura: “o medo de ficar perto de outros caras novamente”. Vou contar um pouco mais detalhado o que houve até por que esse canalha ainda não encontrou seu lugar, a cadeia.

Estava bastante tarde, era ao certo umas onze da noite. A babá cansará de ligar aos pais perguntando quando voltaram, quando em meados da meia-noite ouvisse a porta abrir. Era seu pai. Entrou todo despojado, demonstrando estar cansado, foi colocando a blusa para um lado e pedindo que a babá fosse para casa por conta do horário. Sua preocupação era pensar em pagar hora extra para a doméstica.

Ela sem demorar nada apenas saiu, despediu-se do senhor com educação e sairá de lá. Alguns minutos depois o pai ira a cozinha e encontraste algo a comer, após comer foi-se a cama. Trocou sua vestimenta, ele estava agora vestido com roupas de dormir designadas aconchegantes para o corpo. Saiu de seu quarto e foi em direção ao da filha, custou a observá-la de longe, quando de fato bateu-lhe um “tesão”.

Foi tudo muito rápido. A menina ficará assustada com as atitudes do rapaz em cima de seu corpo, mas ela não tinha certeza de quem era. Ela gritava, esperneava muito, pedirá socorro, mas ninguém a correspondia. Depois de alguns minutos depois de ser totalmente torturada de tal maneira ela caiu em desmaio, o pai vendo certa reação de seu corpo saiu de cima da criança e voltará para seu quarto.

Não foi uma moléstia foi um estrupo mesmo. Essas histórias são daquelas que permaneceram na cabeça da menina por muito tempo até que um dia ela pudesse confiar em sua mãe e contar-lhe o que aconteceu. A garotinha tremia muito só de lembrar, mas ia contando passo a passo o que lhe aconteceu: “Eu pedia socorro, gritava por você, gritava pelo meu pai, pelos vizinhos e ninguém ouvia, as dores eram muito grandes, depois de tentar aguentar tanto eu desmaiei.”.

Ainda assim não sabendo quem fostes o opressor ela e a mãe foram até a delegacia e denunciaram tal caso. A jovem teve de passar por sessões de terapias para depois de alguns anos poder se sentir à vontade próxima de algum homem que seja, se é que isso seja verdade. Acredito que ela cansará de ir as essas terapias e dissera estar bem para passar mais tempo com sua mãe a qual largou o emprego para de fato acompanhar o crescimento da menina.


*Imagem: We Heart It

Nenhum comentário:

Postar um comentário