NÃO POSSO FALHAR



Se tem uma coisa que eu ouvi muito durante essa semana foi que “é tão fácil apontarmos o dedo para falar as dificuldades de alguém que acaba sendo difícil apontarmos nossas próprias dificuldades”. Apesar de ser uma frase já bem conhecida pelas pessoas você pode interpretá-la desde já da sua maneira.

Hoje quando cheguei de casa e me sentei para conversar com minha mãe, minha pressão foi a mil. Era como se meu corpo não estivesse mais sendo domado por mim e sim por alguém de mau coração. Comecei a desejar e ver maldades em algumas pessoas e bem no fundo eu estava suplicando por perdão. Porém o desejo da sua carne em provocar o mau ao próximo é tão grande que pode lhe corroer para o resto da vida e talvez você não consiga dominar esse sentimento.

Após alguns minutos eu fui para o meu quarto parei para repensar em tudo o que havia falado, todas as coisas más que haviam passado pela minha cabeça. Nesse momento entrei no meu estado normal. Comecei a desabafar com meu Pai, pedir-lhe por perdão e força. Força é o que eu preciso para lidar com essas situações. Já não era mais eu, eu me senti pequeno perto de toda a maldade que eu estava desejando ao meu próximo. Eu não posso me corromper, não me permita Senhor.

Outro dia desses parei por alguns minutos para refletir o quanto eu estava (ou não) levando Jesus para as pessoas e notei um vazio imenso ao meu redor. Eu não estava conseguindo levar Jesus até eles a menos que eles estivessem de corações abertos. É muito difícil levar amor a quem só carrega rancor. Nesse momento eu parei e vi que estava fazendo tudo errado, precisava me conter de todos os desejos da minha carne e de todas as influências negativas ao meu redor.

FOI FÁCIL?

Logicamente que não. Na verdade, até hoje luto para me manter estável com Jesus e ainda mais com meu Pai. As influencias ao nosso redor são bastante viciantes e os desejos repentinos da nossa carne nos torna mais da terra do que do céu. Não posso permitir morar aqui por que meu Pai me espera em sua casa.


*Imagem: Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário