SAIA DA SUA BOLHA E CONQUISTE O MUNDO



Eu sei tanto quanto você que, se soltar com pessoas que não nos conhecem é uma parte muito difícil do ser humano. E sei ainda mais como é criar um espaço seu, gerar uma bolha em sua volta no intuito de ser um mecanismo de proteção e acabar se distanciando de pessoas que possivelmente querem seu bem e ainda mais, desejam a sua amizade. Eu já passei por isso, minha prima passou, meus avós passaram, mas eles sobreviveram, cada um da sua maneira logicamente, mas sobreviveram a essa confusão que é gerarmos uma bolha em nossa volta.

Você pode parecer assustado no início, afinal é bem comum isso. Você não conhece ninguém e não quer passar nenhuma vergonha em público, dessa forma você se mantém cautelosamente na sua. Essa expressão “na sua” não pode lhe impedir de sair da sua zona de conforto. Eu diria que a primeira etapa para espocar essa bolha social é você decidir se integrar, ou se preferir pega uma agulha (ou outro objeto pontudo) e vai fundo (risos).

Conquistar o mundo não necessariamente é o trabalho do ser humano, nem passar sua melhor impressão. O melhor jeito do ser humano se integrar é sendo ele mesmo, gradativamente atraindo para perto de si pessoas que tem gostos iguais ou similares aos seus. Esse é o processo de integração pessoal para uma pessoa que costuma viver numa bolha. Não se preocupe porque o máximo que pode acontecer é você ficar nervoso no início, mas depois você vai raciocinar que o ser humano vive em conjunto e com isso você vai encontrar um grupo pelo qual se identifica.

Não há mal em se fechar de vez em quando, mas “para sempre”, não, e nem por um longo período de tempo. Você tem de aprender que o convívio humano já é algo que vem dos nossos antepassados e apesar de possuirmos certa dificuldade temos que estar aptos a conviver em grupos de pessoas. Recentemente fiz um comentário questionando grupos (panelinhas), mas o mundo já está totalmente integrado a ele que seria uma luta imensa lutar contra o mesmo de tal forma que fazê-lo todos viverem em uma conjuntura única.


Imagem retirada do WeHeart It.

Nenhum comentário:

Postar um comentário